enfim resolvido
  • BLOG

    BAIXE O PLANNER FINANCEIRO

  • Lions

    RESENHA DO LIVRO AZAR O SEU

  • Snowalker

    A MENINA DOS OLHOS MOLHADOS

  • Howling

    RESENHA LIVRO DE REPENTE

  • Sunbathing

    RESENHA PS AINDA AMO VOCÊ

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Resenha do livro Princesa de Papel (Série The Royals #1) - Erin Watt

via @enfimresolvidoblog
Hey gente!

Recentemente vinha vendo muitas fotos no instagram com a indicação do livro Princesa de Papel, disseram que o livro era ótimo, então resolvi ler e contar minha opinião a vocês. 

Primeiramente, senta que é TEXTÃO!

Comecei a ler com a expectativa de ser um livro fofo, por ser algo de princesa e até pensei que poderia se comparar com o livro De repente da Nichole Chase, mas não era assim.

Título Original: Paper Princess
Autor: Erin Watt
Editora: Editora Planeta de Livros (Essência)
Número de Páginas: 368
Ano: 2017
Ella Harper é uma sobrevivente. Nunca conheceu o pai e passou a vida mudando de cidade em cidade com a mãe, uma mulher instável e problemática, acreditando que em algum momento as duas conseguiriam sair do sufoco. Mas agora a mãe morreu, e Ella está sozinha. É quando aparece Callum Royal, amigo do pai, que promete tirá-la da pobreza. A oferta parece tentadora: uma boa mesada, uma promessa de herança, uma nova vida na mansão dos Royal, onde passará a conviver com os cinco filhos de Callum. Ao chegar ao novo lar, Ella descobre que cada garoto Royal é mais atraente que o outro – e que todos a odeiam com todas as forças. Especialmente Reed, o mais sedutor, e também aquele capaz de baixar na escola o “decreto Royal” – basta uma palavra dele e a vida social da garota estará estilhaçada pelos próximos anos. Reed não a quer ali. Ele diz que ela não pertence ao mundo dos Royal. E ele pode estar certo. 
De início conhecemos a Ella Harper, uma garota de 17 anos que acabou de perder a única pessoa da sua vida: sua mãe. A dois anos, para manter os tratamentos da mãe e conseguir se sustentar, Ella trabalhava como stripper.

As duas viviam como nômades, sempre mudando de lugar, sendo para fugir do namorado abusivo da mãe ou fugir do sufoco.

Ella não sabia muita coisa sobre seu pai, apenas o primeiro nome e que o relógio que ela usava havia sido dele.  

Quando Callum Royal apareceu se apresentando como tutor legal da Ella, a vida da garota parou e ela estava disposta a fazer qualquer coisa para fugir disso. 

Callum era o melhor amigo do pai da Ella e o que ela não sabia era que ele era rico e soube a pouco tempo da existência da filha, mas não pode conhecê-la por que também havia falecido. 

Ella foi convencida a ser levada para a casa dos Royals, com a promessa de ter dez mil dólares por mês enquanto ficasse com a família e ainda um outro bônus substancial quando se formasse

Isso era tudo o que a Ella queria, por isso mesmo estava trabalhando como Stripper para conseguir continuar os estudos e entrar na faculdade. Alem do mais, agora ela estava sozinha no mundo e não custava nada ela dar uma chance, mesmo que com a pulga atrás da orelha. 

Não poderia acontecer algo pior que isso, não é? Poderia sim e eles se chamavam Reed, Easton, Sawyer, Sebastian e Gideon, os filhos de Callum. 
Você deve saber que qualquer que seja o jogo que está jogando, você não pode vencer. Não contra todos nós. Se você for embora agora, você não será machucada. Se você ficar, nós vamos te quebrar tão profundamente que você vai precisar rastejar para ir embora.
Típicos garotos mimados que infernizavam a vida da garota, mas que dava para perceber que cada um tinham histórias por traz, sabem? 

Os royals do livro, que apesar de terem poder e dinheiro, não eram reis, mas todos os consideraram os donos do mundo. Pela influência quem ditava as leis no colégio Astor Park eram eles. 

E para variar, Ella sofreu bullyng por cima de bullyng. O que me deixava muito mal de continuar a leitura, sinceramente. 

A questão é que desde que Ella chegou os garotos infernizam a vida dela, principalmente Reed, por quem ela sente uma atração. 

Gente, o garoto só falta bater na garota e ela ainda sim ainda sente atração por ele? Precisamos conversar... Eram xingamentos em cima de xingamentos e humilhações em cima de humilhações. Se isso é normal para vocês, que pena, por que para mim não. 

Eis que Ella começa a se envolver com um dos Royals e os problemas de cada um vão sendo expostos no ventilador. 

Na minha opinião, o romance entre eles ficaria apresentável se não tivesse passado por essa merda toda, entendem? As autoras poderiam ter trabalhado isso e não apenas sair da água para o vinho, por que foi isso que aconteceu. 

Minha classificação: 3 de 5.

MANO DO CÉU, eu achava que tinha lido o livro errado, só podia... Eu não entendia de maneira alguma por que as pessoas disseram que amaram esse livro. 

Já tinha passado da metade do livro e eu ainda não entendia o motivo de tanto amor. Ao mesmo tempo que eu não gostava de como os garotos agiam com a Ella, eu queria saber o final do livro para ver se as coisas iriam mudar, por que são três livros e é muita história para contar, não acham?

Acho ok, o romance no finalzinho (mesmo) deu até aquela vontade de começar a gostar deles, mas fiquei com o pé atras, por causa dos primeiros acontecimentos e mesmo assim, Reed quando estava me conquistando, jogou tudo a perder quando fez a burrada MASTER final. 
Não sei se estou pronta para anunciar para todo mundo da Astor Park que estou meio que envolvida com um cara que é meio que meu irmão adotivo.
Sobre os outros irmãos, Gideon foi o mais gostei até agora, o que menos humilhou Ella. Mas em compensação quando as provocações acabaram gostei também de Easton. Sawyer e Sebastian são gêmeos e não aparecem quanto Reed e Easton.  

É um livro que você começa querendo parar de ler, mas finaliza com um gostinho de quero mais, até por que tem continuação e acaba sem respostas e eu literalmente quero saber as respostas.

Estou achando que Reed será que nem o Cristian Grey da vida, onde começamos odiando o personagem, mas acabamos querendo um para nós. 

Nas cenas que não estava fazendo besteira, Reed até que era legal e romântico com Ella. 

O livro teve a narrativa da Ella, mas pelo que entendi, o segundo não será apenas dela.  

Descobri que Erin Watt, na verdade, é o pseudônimo para a parceria entre Elle Kennedy e Jen Frederick. Elle é a autora dá série amores improváveis, que eu quero muito ler e indiquei no post de livros para ler em Maio

A linguagem em algumas partes é bem pesada quanto Cinquenta Tons e o livro é picante na medida do livro De Repente.

Ainda estou em uma relação de amor e ódio com esse livro e os royals, mais ódio que amor, na real, mas resolvi dar uma chance e ler o segundo livro, até por que eu tinha que saber o motivo da última babaquice de Reed Royal. 

Finalizei o livro e comecei em carreata a leitura do segundo livro da série. Talvez minha opinião sobre os personagens mude? Talvez! Mas em breve conto a vocês também, tá? hehe

É um livro que eu indico para vocês tirarem suas próprias conclusões. Eu não amei, mas não me arrependo de ter lido, por que pelo que eu estou vendo vai ser que nem a trilogia cinquenta tons, onde os livros vão "melhorando" com a leitura. 

Espero que tenham gostado!

Me contem se vocês já conheciam esse livro e caso você tenha amado, me explique nos comentários esse amor, por que né....

Beijos, Lah!

1 comentários:

  1. Nunca tinha nem ouvido falar do livro, mas AMEI essa capa, que coisa mais linda! Pena que a história não me conquistou tanto assim, e, pelo que você disse, acho que eu também não iria gostar nada desse romance. Acho meio problemático quando os autores normalizam atitudes como essas que os meninos tinham com a protagonista e ainda enfiam um romance no fim, sabe? De qualquer jeito, já tô a espera da sua opinião sobre o segundo livro!
    Um beijão,
    Gabs | likegabs.blogspot.com <3

    ResponderExcluir

Obaaaa, muito obrigada por comentar, volte sempre! Beijoss!

 

criado e codificado para o blog Enfim resolvido
cópia proibida © 2015