enfim resolvido
  • BLOG

    BAIXE O PLANNER FINANCEIRO

  • Lions

    RESENHA DO LIVRO AZAR O SEU

  • Snowalker

    A MENINA DOS OLHOS MOLHADOS

  • Howling

    RESENHA LIVRO DE REPENTE

  • Sunbathing

    RESENHA PS AINDA AMO VOCÊ

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Resenha do filme "Love" de Gaspar Noé (+18)

Hey gente!

Ouvi falar que "Love" era o filme mais polêmico de 2015, então resolvi assistir mesmo não entendendo muito bem certos conceitos sociais e preferindo guardar minha opinião, por que não sei expressa-las direito. Masssss, irei falar o que achei de uma maneira geral.

Título Original: Love
Direção: Gaspar Noé
Gênero: Drama
Ano: 2015
Murphy (Karl Glusman) está frustrado com a vida que leva, ao lado da mulher (Klara Kristin) e do filho. Um dia, ele recebe um telefonema da mãe de sua ex-namorada, Electra (Aomi Muyock), perguntando se ele sabe onde ela está, já que está desaparecida há meses. Mesmo sem a encontrar há anos, a ligação desencadeia uma forte onda saudosista em Murphy, que começa a relembrar fatos marcantes do relacionamento que tiveram.
Depois da sua ex namorada Electra sumir e a mãe dela ligar em busca de informações, o americano estudante de cinema em Paris começa a ter flash backs dos dois anos que se relacionavam. Já havia alguns anos que eles não se viam e Murphy agora tinha uma família e estava casado com Omi.
Ele já não está satisfeito com a vida que levava ao lado do filho e da mulher. Os dois se conheceram durante uma noite de sexo a três e depois voltaram a se relacionar, até que Omi fica grávida e o relacionamento de Murphy e Electra acaba. 

Os flash backs começam de traz pra frente, ou seja, já começa com algo que aconteceu pouco tempo depois da Electra ir embora e no final do filme vemos como eles se conheceram.
No filme tem brigas, traições, drogas e MUITO SEXO EXPLÍCITO e não era nada técnico: o sexo e os beijos eram de verdade. Além disso, tem muito afeto também, antes de todos esses fatos acontecerem e até depois. Eu sei que é um filme, mas eu nunca que ia querer estar na pele da namorada do protagonista.

Não é uma história erótica como cinquenta tons de cinza mas também não é uma historia de amor de Nicholas Sparks.

O namoro de Electra e Murphy foi intenso mas ao mesmo tempo muito real.
O longa-metragem é intenso, intrigante, impactante, angustiante, um misto de emoções literalmente. Retrata machismo e hipocrisia (Murphy) mas não vou abordar eles aqui. Foi um conjunto de todos esses fatos que fez meu coração apertar, sabe? Você tem vontade de dar umas tapas na cara do personagem para ele parar de agir daquele jeito.

Em uma das cenas Murphy, que é estudante de cinema, diz que quer fazer um filme que pudesse retratar o sexo no cinema de maneira natural, o sexo com amor e não apenas sexo. E foi justamente o que aconteceu no filme. 
Não posso classificar pois não tenho nota formada ainda, mas é sempre bom que vocês assistam e tirem suas próprias conclusões. 

Terminei de assistir com um aperto no peito, um desespero estranho, uma imensa vontade de chorar mas não de emoção.

A principal questão abordada pelo filme são os relacionamento atuais e a maneira que os jovens lidam com o amor, além de mostrar
que os relacionamentos vão muito além do sexo. Tudo isso com muito realismo. 

Gaspar Noé tenta (e consegue) juntar o sexo com o amor, que são separados em inúmeros filmes onde é só sexo ou só amor.

Algo que não gostei no filme (e em todos os filmes franceses) é a ausência de uma trilha sonora. Haviam músicas mas as mesmas angustiantes e não como estamos acostumados a ver nos demais filmes. 

É literalmente um filme de amor e sexo. 

Os atores Aomi Muyock, Karl Glusman e Klara Kristin estão realmente de parabéns, além do autor Gaspar Noé, claro.

O filme não é recomendado para menores de 18 anos.

Espero que tenham gostado!

Vocês já ouviram falar dele? Me contem ou indiquem outros hehe

Beijos, Lah!

19 comentários:

  1. Essa resenha ficou maravilhosa. Deu até vontade de ver o filme. Vi algumas cenas batidas e fiquei '0' Realmente deve ser um filme muito polêmico. Obrigada pela dica. Já quero mais resenhas u-u bejas <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ebaa que bom que gostou hehe Vai ter muita resenha em 2016, aguarde haha <3 Beijos

      Excluir
  2. Lah, que resenha maravilhosa, meus parabéns! Esse ano eu assisti á um filme nesse estilo, que agora não me recordo o nome. Ele contava a história de uma mulher viciada em sexo desde pequena, o filme é super pesado e te faz pensar em várias questões. Se caso eu lembrar do nome eu te falo! haha
    Eu gosto bastante de filmes nesse estilo sabe? Eles nos fazem refletir sobre o modo como vivemos, eu com certeza irei assistir este. Dessa semana não passa! hehe Beijos <3

    www.blogeaigabi.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou da resenha Gabi <3 depois me conta o que achou dele hehe Beijos <3

      Excluir
  3. A questão do sexo no cinema é muito mais natural nos de gênero indie, e eu acho genial já que na minha concepção quebra mais o tabu que os filmes que vão as telas de cinema cria não abordando. E o melhor desse filme é que é literalmente a realidade, a questão dos relacionamentos com e sem amor, da forma que as pessoas lidam e em relação a trilha sonora, filme francês é assim mesmo. Eu tenho um filme bem indie para te recomendar, é um pouquinho cansativo mas eu o amo! O nome é Submarine.

    XX

    www.folhasdeoutono.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não conhecia esse que você indicou, Ju. Vou procurar pra assistir também hehe beijos

      Excluir
  4. Nunca tinha ouvido falar não kkk Mas sua resenha está muito boa, de verdade, enquanto eu lia parecia que vc estava me contando como foi o filme e suas emoções! Eu não curto esse tipo de filme, mesmo já tendo +18, e sendo sincera não fiquei com vontade de assistir não kkk Mas curti o nome da personagem Electra!
    Parabéns pela resenha!
    beijos!
    http://cheiade-alegria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou da resenha pelo menos, Lari hahaha eu só assisti por que fiquei realmente curiosa \o/ Beijos

      Excluir
  5. Nossa Lah, sem palavras!
    Quero e não quero assistir sabe? Estou numa fase meio deprê e como consequência assistindo filmes seção da tarde para rir e aliviar um pouco.
    Mas não tem como, sua resenha despertou minha curiosidade.
    Ainda mais um francês.
    Mas se ele despertou em ti esses sentimentos "ruins" provavelmente seria o mesmo comigo, vou guardar na minha lista, mas esperar um pouco mais para assistir.
    Parabéns mais uma vez pela resenha.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Te entendo Tati, quando você tiver melhor assiste e depois vem me dizer o que achou hehe Beijos ♥

      Excluir
  6. Eu não conhecia esse filme, fiquei sabendo dele agora por você, e juro que fiquei curiosa pra assistir depois de ler sua resenha, parece ser bem intenso mesmo....
    Boas festas, beijos.

    www.sonhosdegarota.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que te convenci Érika hahaha espero que você goste! Boas festas pra ti também. Beijos

      Excluir
  7. Lah que resenha hein, você arrasa nas palavras, descreve as coisas perfeitamente. bju

    http://mikaellymenezes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Sua resenha ficou maravilhosa; despertou em minha curiosidade sobre o filme.
    Amo filmes intensos, porém com características um pouco realistas...
    Espero conseguir assistir *-*

    Blog Riscoculto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A electra morreu ou só desapareceu?
      Agradeço a resposta
      Att. Juliana

      Excluir
    2. Sarah, fico feliz que tenha gostado! \o/ Bjos

      Excluir
    3. Juliana, não lembro direito, mas creio que o filme deixou essa lacuna.

      Excluir
  9. amei,sò queria saber se ela morreu ou desapareceu ;(

    ResponderExcluir

Obaaaa, muito obrigada por comentar, volte sempre! Beijoss!

 

criado e codificado para o blog Enfim resolvido
cópia proibida © 2015