enfim resolvido
  • BLOG

    BAIXE O PLANNER FINANCEIRO

  • Lions

    RESENHA DO LIVRO AZAR O SEU

  • Snowalker

    A MENINA DOS OLHOS MOLHADOS

  • Howling

    RESENHA LIVRO DE REPENTE

  • Sunbathing

    RESENHA PS AINDA AMO VOCÊ

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Playlist de Maio

via pinterest
Hey gente!

Continuo ouvindo muita música boa e fiz minha seleção para compartilhar com vocês!

THE VAMPS, MARTIN JENSEN - MIDDLE OF THE NIGHT

E mais uma vez os queridinhos do The Vamps apareceram com esse tiro de clipe. Eu já havia ouvido a música antes, mas o clipe oficial só foi lançado lá para o meio do do mês.

SHAWN MENDES - MERCY

Apesar da música ser do ano passado, tenho escutado muito recentemente. Vamos logo aquecer para o Rock In Rio não é mesmo? Mais um RIR que irei acompanhar direto da minha cama, infelizmente.

MILEY CYRUS - MALIBU

E essa nova fase da Miley, gente? Fofinha! Confesso que essa música não era para estar na lista, por que basicamente não foi uma música que gostei de ouvir no início, mas simplesmente não parava de cantar. Como pode? haha

HARRY STYLES - SWEET CREATURE

Outra música do álbum solo do lindo Harry Styles. Essa foi a segunda música que me apaixonei dele, perdendo apenas para Sign Of The Times que indiquei na playlist passada hehe

A sensação que tenho é que esse álbum é perfeito para a trilha sonora de algum filme de Nicholas Sparks, bem diferente do 1D. Alguém mais? haha

R5 - IF

Eu ouvia muito R5, que pra quem não sabe é a banda dos irmãos do ator Ross Lynch, que fez os filmes Teen Movie e a série Austin e Ally. Eles lançaram recentemente um EP e a música que não paro de ouvir é essa. Quem já conhecia a banda?

MARTIN GARRIX E TROYE SIVAN - THERE FOR YOU

E para finalizar vamos com esse tiro do Martin Garrix com Troye Sivan. Acho o Martin um fofo e convenhamos que ele tá arrasando, né? Não paro de ouvir SOCORRRRRRRO!!!

Espero que tenham gostado!

Qual é a preferidas de vocês atualmente?

Beijos, Lah!

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Resenha do livro Twisted Palace (Série The Royals #3) - Erin Watt

via @enfimresolvidoblog
Hey gente!

Finalmente finalizei a série The Royals (pelo menos os livros já publicados pelas autoras) e AGUENTA CORAÇÃO!!! Quem ainda não viu, resenhei os livros Princesa de Papel e Broken Prince

Título Original: Twisted Palace
Autora: Erin Watt
Editora: Direitos adquiridos pela editora Planeta
Número de Páginas: 370
Ano: 2016
De inimigos mortais a aliados inesperados, dois adolescentes tentam proteger tudo o que mais importa. Ella Harper encontrou todos os desafios que a vida tem jogado seu caminho. Ela é dura, resistente e disposta a fazer o que for preciso para defender as pessoas que ama, mas o desafio de um pai há muito perdido e um namorado cuja vida está na linha pode ser demais para ela superar. Reed Royal tem um temperamento rápido e até mesmo punhos mais rápidos. Mas sua tendência para encontrar cada obstáculo com a violência finalmente alcançou com ele. Se ele quer salvar a si mesmo e a garota que ele ama, ele precisará se elevar acima de seu passado torturado e reputação manchada. Ninguém acredita que Ella possa sobreviver aos Royals. Todos estão certos de que Reed os destruirá todos. Eles podem estar certos. Com tudo e todos conspirando para mantê-los separados, Ella e Reed devem encontrar uma maneira de bater a lei, salvar suas famílias, e desvendar todos os segredos em seu torcido palácio. 
[Só para atualizar quem não leu o livro Princesa de Papel e Broken Prince]: Em Princesa de Papel, Callum Royal tornou o tutor de Ella após seus pais falecerem. Ele decide levar a garota para morar com ele e seus cinco filhos (cada um mais lindo que o outro). A estadia não é nada agradável por que os Royals e o pessoal do colégio estavam dispostos a infernizarem sua vida. Ella acaba se envolvendo com Reed Royal, mesmo ele sendo um babaca com ela de início. A relação entre Ella e os Royals melhorou, mas o livro acabou com uma burrada master de Reed. 

No segundo livro, Reed tenta convencer a Ella a te dar uma nova chance e esta disposto a lutar por isso. Teve uma grande melhora com os personagens e alguns mistérios e casos a serem trabalhados. 

Primeiramente, o livro Broken Prince acabou com três mistérios que precisavam serem resolvidos. 1) Um dos personagens falados no livro que não deveria estar lá misteriosamente apareceu, o que será que havia acontecido? 2) Um dos personagens foi assassinado e um dos Royals está sendo acusado e 3) quem é o assassino (a)?

Sim, mundo! Eu contei na resenha do livro Princesa de Papel que eu não tinha gostado tanto do primeiro livro justamente pela maneira que a Ella era tratada pelos Royals mirins. E aqui estou eu finalizando a série com essa última resenha.

Com o decorrer do segundo livro, vemos um Reed mais apaixonado e disposto a lutar por Ella.

O cenário do terceiro livro mudou e agora estamos falando sobre uma cena de um crime. Um dos personagens foi assassinado e Reed é o principal suspeito. Será que Reed Royal é o assassino? Por que alguém cometeria um assassinato e incriminaria outra pessoa?
[Reed] Eu me beneficiei toda minha vida, por ser um Royal. Se eu ficar em apuros na escola, meu pai escreve um cheque e meus pecados são esquecidos. Pelo tempo que me lembro, meninas fizeram fila para subir na cama comigo para que elas pudessem dizer a todos os seus amigos que elas ficaram com um Royal. Não que eu queira garotas em fila para mim. Há apenas uma garota que me interessa nestes dias - Ella Harper. E absolutamente me mata ela ter presenciado eu sendo arrastado para fora de casa algemado.
Grande parte das cenas giravam em torno do caso de Reed. Ele iria ser preso e isso colocaria em jogo todo o futuro que ele pudesse ter planejado.
[Ella] Às vezes eu ainda não consigo acreditar que todos nós nos odiávamos quando eu cheguei aqui. Reed estava determinado a me destruir. Seus irmãos alternadamente me insultando ou me ignorando. Eu fantasiava sobre fugir diariamente. E agora, eu não posso imaginar não ter os Royals na minha vida.
Foi um livro que prendeu minha atenção por que eu queria dar uma de Scooby Doo e descobrir quem era o assassino. Dava para ter noção de quem era (pelo menos eu tive), mas ao mesmo tempo que eu já sabia, outros suspeitos apareciam e ficava mais difícil e confuso de encontrar o verdadeiro.

Me deixou apreensiva por que já estava quase no final do livro e o caso do assassinato ainda não tinha sido resolvido OMG!!!

O livro é narrado por Reed e Ella novamente. Confesso que gostei desse esquema, por que eu não gostava de Reed pela narração de Ella.
[Reed] Uma vez eu brinquei que ela segurava minha coleira e é verdade. Eu sou uma pessoa melhor quando ela está por perto. Mais controlado. Mais digno.
Sobre os personagens...

Gide quase não aparece e alguns personagens aparecem mais que ele, como Wade e Val, que eram os melhores amigos dos protagonistas. Fiquei curiosa de saber mais sobre o caso de Gide, mas também não rolou.

East apesar de ser sem noção, é um sem noção legal e que sabe disso. É daqueles personagens que você quer ter um amigo assim, entendem? Claro, tirando as partes ruins. Wade também se assemelha a ele.

Continuo sem entender os gêmeos, sério. Eu queria muito saber um pouco mais sobre eles, mas as autoras não fizeram isso.

Callum é Callum, o Royal master, mas que também não tem tanto destaque quanto Reed e Ella.

Não vemos tanta linguagem baixa e as cenas estão picantes na medida certa. 

Minha classificação: 5 de 5.

Foi um final que fiquei satisfeita, mas senti falta de detalhes importantes. Queria mais informações sobre os personagens principais que foram ditos só por cima mesmo e outros nem foram explicados. Acho que seria bom um epílogo, nem que fosse em flashs dos acontecimentos.

Pelo que entendi, ainda vão ter mais dois livros com previsão de lançamento para esse ano na gringa OMG!!! Fallen Heir e Cracked Kingdom que falam sobre o queridinho Easton, que pelo visto é queridinho das autora também, por que os DOIS livros são sobre ele. 

Não foi um livro que amei, mas é difícil acompanhar uma série e depois simplesmente não gostar ou indicar. Foi o que aconteceu comigo quando li a trilogia Cinquenta tons, onde odiei o primeiro livro, mas continuei lendo os outros dois e acabei gostando.

Mesmo assim, indico a série The Royals, por que sou daquelas que gosta que cada um tire suas próprias conclusões.

A leitura foi rápida, não tão rápida quanto os outros dois livros da série por que eu estava lotada de coisas para fazer, mas mesmo assim eu não tirava o livro da cabeça.

THESE ROYALS WILL RUIN YOU....

Espero que tenham gostado!

Já conheciam a série?

Beijos, Lah!

sábado, 20 de maio de 2017

Como fazer mídia kit usando o Canva

via @enfimresolvidoblog
Hey gente!

Mídia kit é um dos assuntos que mais gosto de falar aqui no blog por que eu trabalho com isso. Nunca disponibilizei um arquivo pronto para vocês usarem por que sempre fui aquela que acha que o mídia kit do blog tem que ter a cara dele. Cada blog com seu design, não é mesmo? 

Juntando o útil ao agradável, resolvi fazer um tutorial (que muita gente pediu para eu começar a fazer, aliás) ensinando a fazer um mídia kit reduzido utilizando um editor online, que no meu caso, escolhi o Canva por que já tem alguns banners pronto para utilizar, o que já facilita nossa vida 70%.

Separei três modelos para trabalhar, mas só vou demonstrar um por que basicamente são os mesmos passos. As opções são infinitas e com certeza vai ter algum banner que te agrade.

1) O passo inicial é entrar no site e escolher a opção "Imagens para blog". Lá encontraremos vários banners legais para editar ou apenas usar sem editar, dependendo da sua necessidade. 
2) Após o primeiro passo, você deve escolher o design do banner a ser trabalhado na aba "Layouts". 
3) Com o banner escolhido, vamos apenas alterar as cores para combinar com a paleta do seu blog. Feito isso, vamos escrever nos espaços o que queremos informar para os anunciantes. É tipo um power point e só precisa clicar em cima que conseguimos alterar os textos. 
Vocês podem mexer muito com as cores do banner, o que realmente vai fazer com que combine com o design do seu blog. 
Uma coisa que gostei muito foi as réguas marcando o alinhamento das palavras. Com elas, vai ser mais fácil manter as palavras alinhadas, principalmente para quem é perfeccionista e gosta de tudo literalmente organizado.

4) Feito a parte mais importante, que é alterar as cores, fontes e textos, chegamos na parte final do processo: salvar tudo isso. 
São três opções para salvar o seu banner: PNG, JPG e dois tipos de PDF. Para aumentar a qualidade da foto é importante que você salve em PNG. 

5) Após baixar o arquivo, você tem a opção de compartilhar nas redes sociais. 
Além disso, também podemos enviar por email, incorporar em um site como faço com as playlists aqui do blog usando os vídeos do youtube, gerar um link para enviar etc. 
Seus trabalhos são salvos na própria plataforma do Canva e disponível para se você quiser alterar os dados.

Fiz mais dois modelos.
Viram como dá para deixar com a cara do seu blog?

Vale lembrar que o importante não é ser feito por um profissional e sim que o mídia kit esteja de acordo com seu blog, por que é justamente uma vitrine para futuras parcerias. Já contei que não adianta fazer um mídia kit vermelho e preto se o layout do seu blog é verde e azul, não é mesmo?
Também já falei que o mídia kit é algo formal justamente para não ter gente entrando no ig da loja que quer parceria e pedindo as peças. POR FAVOR não façam isso, sério!

Não sabe o que é mídia kit? Vem cá que eu expliquei tudo certinho do que é mídia kit e sua importância na blogosfera, além de dar algumas dicas na hora de entrar em contato com as empresas oferecendo parcerias. 

Enfim, espero que tenham gostado do primeiro tutorial do blog!

Me indiquem algum tutorial que vocês gostariam que eu fizesse ou dúvidas sobre o assunto. 

Beijos, Lah!

quinta-feira, 18 de maio de 2017

O que achei da série Jane The Virgin

Hey gente!

Recentemente indiquei três séries que eu queria muito assistir e aqui estou já para contar minha opinião sobre a série Jane The Virgin.
Jane trabalha em um hotel. Ela tem um noivo que a ama muito e respeita o fato de ela querer chegar virgem ao altar. Mas seus planos mudam, quando ela é inseminada por engano. Para piorar, o sêmen é de seu chefe, um antigo amor platônico de Jane.
A vida de Jane segue um cronograma desde quando ela entende o que é isso e de início já vemos muito da personalidade que iremos acompanhar.

A série Jane The Virgin tem três temporadas atualmente, mas na Netflix só encontramos a primeira. Mesmo assim, dá para ter o gostinho se você vai gostar ou não dela.

SOBRE OS PERSONAGENS
O núcleo de personagens não é extenso, mas temos alguns principais.

Vamos dar destaque aos protagonistas Jane, Rafael e Michael.
Jane Villanueva é aquela garota certinha que já tem sua vida planejada desde pequena. Todos os seus compromissos passam pelo cronograma e tudo precisa estar do seu jeito. De acordo com seu cronograma, a ordem das coisas seria estudar, trabalhar, namorar, casar e ter filhos. Mas a vida da Jane começou virar de cabeça para baixo quando acidentalmente foi inseminada em uma consulta rotineira e engravidou.

Mas a Jane é virgem, tem um noivo e um cronograma para seguir. Ter um bebê aos 23 anos era loucura.
O futuro papai é o Rafael Solano. Irmão da médica que inseminou Jane por engano. Desconheço a idade dele, mas pelos meus cálculos, ele tinha 31 anos. Ele é um empresário conhecido e dono do hotel Marbella, onde a Jane trabalhava. De início era um garoto problemático, mas conseguiu ir melhorando até virar aquela pessoa maravilhosa por quem eu ficava suspirando de alegria cada vez que ele aparecia.

Rafael era casado com Petra Solano, tinha uma família problemática, mas sua última chance de construir sua própria família era o bebê da Jane.
O noivo da Jane era o Michael Cordero, eles estavam namorando a dois anos e já estavam se preparando para casar. É um futuro detetive e também ganhou meu coração.

Sinceramente, é complicado saber com quem eu queria que a Jane ficasse. Eu gosto do Rafael por alguns motivos, mas também amo o Michael por outros.

SOBRE OS CENÁRIOS
Os cenários da série é muito variado, porém temos alguns locais principais como o hotel Marbella (hotel do Rafael e onde a Jane trabalha), a casa dos protagonistas e ônibus, por que a Jane andava de ônibus muitas vezes,  mesmo não precisando.

SOBRE OS EPISÓDIOS
Os episódios são em torno de quarenta e cinco minutos, porém não são cansativos de assistir, juntamente por ser uma série leve.
Eu vi muita gente que assistiu na Netflix, mas falou que não gostou por que teve um final apreensivo e diferente do que imaginava, onde você queria ver mais episódios e não podia por lá. Mas gente, são três temporadas, algo deve ter acontecido para prolongar isso, não é mesmo? Dê chances, assistam séries completas e depois que revelem a opinião de vocês. Não parem de assistir só por que o final da primeira temporada não foi o imaginado por vocês.

Falei sobre isso na resenha da trilogia cinquenta tons, sobre eu não ter desistido de ler os demais só por que eu não gostei do primeiro livro e de como eu me surpreendi com os seguintes.

SOBRE O FORMATO DA SÉRIE
Eu achei muito criativo o formato da série. As vezes parecia que eu estava assistindo a uma novela mexicana.
Temos um narrador intercalando as fases da Jane e fazendo um resumo de todos os personagens que aparecem. Sempre vemos o passado e presente da protagonista e alguns flash backs dos outros personagens.

O QUE ESSA SÉRIE ACRESCENTA NA MINHA VIDA?
Eu indico Jane The Virgin para quem está em busca de uma série legal de comédia para acompanhar. Não vai te dar altos risos, mas também não vai te deixar cansada de assistir vários episódios por dia.
Na série vemos pitadas de suspense, quando começam a ocorrer assassinatos no hotel do Rafael e a equipe de Michael vai em busca das respostas.

Eu por enquanto, estou na metade da segunda temporada, mas eu já indico a série a vocês.

CURIOSIDADES
- Jane the virgin é uma adaptação da novela venezuelana Juana La Virgen.

- Foi renovada para a quarta temporada.

Espero que tenham gostado!

Já assistiram? Me contem.

Beijos, Lah!
 

criado e codificado para o blog Enfim resolvido
cópia proibida © 2015